Museus: As Coleções Criam Conexões

EXPOSIÇÃO FILATÉLICA DE ITAQUAQUECETUBA
12 a 18 de maio de 2014 – Boletim Informativo da SPP nº 220 – Agosto de 2014

ITAQUAQUECETUBA, SUA HISTÓRIA

A cidade de Itaquaquecetuba deve sua criação ao então presidente da província, Bernardo João Pinto Gavião Peixoto, com o nome de vila Nossa Senhora d’Ajuda, em 7 de setembro de 1560, sendo estabelecida na beira do Rio Tietê quando o padre José de Anchieta, juntamente com vários missionários, chegou à região com a finalidade de catequizar os índios guaianases.

A população começaria a crescer apenas em 1624, quando o padre João Álvares, construtor da capela da Conceição de Guarulhos e também da de São Miguel, decidiu levantar em sua propriedade localizada bem ao lado da aldeia de Itaquaquecetuba, um oratório em louvor a Nossa Senhora d’Ajuda que, em seguida, tornar-se-ia capela “que serviu de núcleo à povoação, legando-a, por sua morte, ao colégio dos jesuítas”. Este foi o marco inicial da povoação, que logo viria a se fixar em seu redor, com o nome, de Nossa Senhora da Conceição de Itaquaquecetuba, elevado à categoria de freguesia pela lei nº 17, de 28 de Fevereiro de 1838. A denominação reduzida para Itaquaquecetuba ocorreu somente no século XX, quando se separou de Mogi das Cruzes com sua elevação a município, pela lei Nº 2.456, de 30 de dezembro de 1953.

O primeiro censo realizado na Aldeia de Nossa Senhora d’Ajuda, em 1765, apresentou os seguintes resultados: 109 mulheres e 117 homens. Pouco cresceu a aldeia durante os próximos quase duzentos anos. Foi com a inauguração da variante da Estrada de Ferro Central do Brasil em 1925 que Itaquaquecetuba começou a crescer e a prosperar. A população segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística em 2010 é de 321 854 habitantes e a área é de 81,8 km². Está a 42,5 quilômetros de São Paulo, capital estadual.

“Itaquaquecetuba” é um nome de origem tupi que significa “ajuntamento de taquaras-faca”, através de junção dos termos takûara (taquara), kysé (faca) e tyba (ajuntamento).

12ª SEMANA NACIONAL DE MUSEUS

Ocorre anualmente em celebração ao Dia Internacional dos Museus, 18 de maio em âmbito mundial. No Brasil o evento é realizado por intermédio do Ministério da Cultura através do Instituto Brasileiro de Museus, IBRAM. O município de Itaquaquecetuba foi convidado a participar, e aceitando a nobre tarefa promoveu uma Exposição Filatélica no período de 12 a 31 de maio de 2014.

O evento teve a coordenação do Sr. João Roberto Baylongue, membro da SPP, presidente da Associação Brasileira de Carimbologia e diretor da empresa JRB Pesquisas, tendo uma programação variada sobre a filatelia e montagem de coleções:

  • Oficina de Práticas de Organização de Coleções de Selos
  • Tema aberto ao público de Como iniciar uma coleção, com exibição de filme
  • Encontro ”Promover a interação do educador nas diversas coleções”
  • Ação educativa através da recepção, orientação e participação dos estudantes e público em geral
  • Exposição Filatélica com o tema Filatelia “As Coleções Criam Conexões”

A Exposição e Encontro de Colecionadores de Itaquaquecetuba teve o apoio da Prefeitura Municipal, da Diretoria Regional dos Correios de São Paulo Metropolitana, da Federação das Entidades Filatélicas do Estado de São Paulo, da Associação Brasileira de Jornalistas Filatélicos e da Sociedade Philatélica Paulista, SPP.

Foram expostas 15 coleções de 13 filatelistas, sendo 8 coleções de membros da Sociedade Philatélica Paulista:

  • Cinco Continentes, de Rosa Sazatornil Angulo
  • Arte em Exposição, de Teruya Kazama
  • Visitando a Região, Carimbologia Regional, de Antonio Carlos Fernandes
  • Escravidão no Brasil, Presidentes da República, de Roberto Antonio Aniche
  • Homenagem a Ferraz: Vinicultura, de Reinaldo Basile
  • Trilhos do Passado, Ferrovias de Hoje, de Vilmar de Jesus Brito

SAMSUNG CAMERA PICTURESNo sábado 17 de maio, o filatelista Dr. Roberto Antonio Aniche promoveu uma palestra sobre a coleção “Escravidão no Brasil” explicando este período da história do Brasil nos seus aspectos políticos, sociais e econômicos, com boa afluência de visitantes, incluindo membros da SPP e do Clube Filatélico de Suzano com grande repercussão sobre o delicado tema.

Por iniciativa e criação do Sr.João Roberto Baylonge foi ministrado um curso permanente durante toda a exposição através de 5 quadros da exposição:SAMSUNG CAMERA PICTURES

  • Como conseguir seus selos
  • Lavando os selos
  • Secando e selecionando
  • Materiais filatélicos
  • Montagem de coleção

mostrando, de uma maneira didática, simples e eficiente como iniciar uma coleção de selos a todos os interessados nesta arte.

SAMSUNG CAMERA PICTURESA Exposição no Museu Municipal de Itaquaquecetuba foi visitada por aproximadamente 1.100 pessoas, entre público, estudantes e professores. Nesta última categoria a Exposição teve a presença de cerca de 100 professores nas oficinas de filatelia, adquirindo conhecimentos de forma pedagógica para levar até as salas de aula a importância do colecionismo na educação dos jovens.

Iniciativas como esta, valorizando e mostrando a Filatelia ao público em geral, a estudantes e professores, a clubes filatélicos e a filatelistas, como instrumento de cultura e divulgação de todos os ramos do conhecimento humano conseguem fortalecer e tornar a sociedade melhor, construindo alicerces para um futuro promissor.

A Filatelia, com seu imenso potencial pedagógico, pode transformar aulas “comuns” em aulas animadas, interessantes e motivadoras, em vista das possibilidades de desenvolver nos alunos o gosto pelo estudo e pelo processo de construção do conhecimento. Contribui significativamente para aumentar o senso de observação e análise, estimula a criatividade, desenvolve habilidades e incentiva a sociallização, bem como o interesse dos alunos em realizar pesquisas e ilustrar trabalhos escolares com imagens de selos sobre os mais diversos temas relacionados ao Brasil e o mundo.” (João Roberto Baylongye).

 

Fotografias:

1 – Dr.Roberto Aniche em palestra sobre a sua coleção “Escravidão no Brasil”
2 – Público presente às explicações das coleções
3 – Antonio Carlos Fernandes e João Roberto Baylongue, curador da exposição
4 – Almoço de confraternização: Teruya Kazama, João Roberto Baylongue, Antonio Carlos Fernandes e Dr.Roberto Aniche

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s