Mosaico Postal: Cartões Postais Turísticos de Parnaíba/Piaui

Abaixo colocamos o link para download do artigo, um trabalho de André Riani Costa Perinotto, Márcia Regina de Albuquerque Balbino e  Dilene Magalhães Borges, todos da
Universidade Federal do Piauí (Campus Parnaíba).

É mais um bom trabalho para a compreensão da importância do Cartão Postal na preservação da memória das cidades, enriquecendo o conhecimento da Cartofilia.

Cartões Postais Paulistanos

na Virada do Século XX: Problematizando a São Paulo “Moderna”, de Fraya Frehse.

A melhor definição deste trabalho vem de sua autora:

  • Este artigo resulta de minhas primeiras reflexões sobre o uso de cartões postais como fontes de análises antropológicas, no âmbito de uma pesquisa de mestrado sobre as rupturas  e continuidades culturais experienciadas pelos habitantes de São Paulo frente às transformações socioculturais por que passou a cidade a partir da década de 1870. Numa paisagem de Ouro-Preto-que-vira-Paris, quais as imagens de cidade que o cartão postal, surgido em São Paulo em fins do XIX, veicula? Concebendo o postal como representação simbólica da constituição de toda uma dinâmica cultural que se reflete profundamente na identidade que o paulistano passou a construir em relação a sua cidade, o objetivo aqui é entender quais as dimensões de cidade que treze imagens produzidas entre fins do século XIX e os anos 1960 sobre um local de importância histórica e social como o Largo/Praça da Sé expressam, pois que se concebe que elas sejam o modo pelo qual a São Paulo que muda de forma vertiginosa a partir da década de 1870 se vê e quer ser vista pelo “outro” distante espacial e/ou temporalmente.

Mais detalhes sobre Fraya Frehse:

Artigo: Cartões Postais Paulistanos

Carta-Bomba: Uma Peça Filatélica?

CARTA BOMBA, UMA PEÇA FILATÉLICA?

FIG 1Talvez seja a única coleção mantida apenas por organismos de segurança nacional de várias nações, que infelizmente existe a um custo muito, muito alto, de vidas. O artigo escrito não se trata de filatelia na acepção correta da palavra, mas de cartas que tem um destinatário único, que levam uma mensagem que explode ao ser exposta, deixando uma marca em quem a abre.

A HISTÓRIA

Fig 2 Salvador BofarullSegundo o investigador Salvador Bofarull, filatelista espanhol, os ataques com cartas já tem cerca de dois séculos de história. A primeira carta bomba foi entregue ao capitão geral da Galícia, Nazário de Eguia y Saez de Buruaga em 1829, resultando na amputação de sua mão direita. Somente em 1873 que se descobriu que o fabricante da bomba foi um farmacêutico liberal chamado Chao, com pólvora e vidro moído.

Outros historiadores atribuem a fabricação da primeira carta bomba a um sueco chamado Martin Eckenberg, que se suicidou em 1910 quando estava preso.

03 LivroSegundo Bofarull, os israelenses foram experts em enviar cartas bombas com apoio do governo, para criminosos de guerra nazistas localizados nos Estados Unidos, mas suspenderam o envio após o governo norte americano exigiu que encerrassem este tipo de atentado. Em 1947 uma organização sionista enviou uma carta bomba ao presidente Harry Truman por achar que seu apoio para a criação do Estado de Israel não era suficiente.

Na década de 1970 a investigação de Bofarull indica que os palestinos enviaram muitas cartas bomba contra israelenses ocupantes de cargos importantes na Europa. Bofarull escreveu o artigo “Un correo Letal: La Carta Bomba” , publicado no “Cuadernos de Revista Filatélica nº 8”.

COMO FUNCIONA UMA CARTA BOMBA

Atualmente as cartas bomba são produzidas com explosivos plásticos adaptados ao envelope, sendo ativados por um detonador que fica em um, nos quatro cantos do envelope. O explosivo plástico pode ser moldado para ficar fino como uma lâmina e no formato do envelope.

A detonação da carta bomba pode ser feita por um detonador interno, eletronicamente até por meio do toque do telefone, por controle remoto, ou por interromper um circuito elétrico preparado dentro do envelope.

A MENSAGEM

Fig 6Explosivos de pequeno alcance, que causem lesões na face, no olho, nas mãos ou braços servem para conseguir alguma coisa mediante ameaça real. Podem ser ameaçados ou sofrerem extorsão, políticos, empresários, dirigentes de empresas, por terroristas ou pessoas atuantes no narcotráfico. Estas cartas podem durar até dez anos sem explodir, segundo especialistas no assunto.

COMO IDENTIFICAR UMA CARTA BOMBA

As cartas bombas e os pacotes explosivos são usados extensamente com a finalidade de atacar uma organização ou indivíduo. Embora não haja nenhum padrão para carta bomba, determinadas características comuns poderão ajudar a identificar uma carta suspeita, por exemplo:

• Embalada de modo estranho
• Pacote danificado, com metais visíveis
• Cheiro de perfume
• Odores fortes tais como amêndoas, produtos químicos ou petróleo
• Distribuição desigual de peso
• Furos pequenos ou cortes, nas extremidades de abertura
• Endereço mal escrito ou datilografado com erros (nem sempre)
• Embrulhado excessivamente
• Fiação visível ou em relevo
• Manchas e marcas de dedos gordurosos
• Excesso de carimbos e selos, mais do que o necessário para o peso
• Conteúdo duro e volumoso

PROCEDIMENTOS AO SUSPEITAR DE UMA CARTA BOMBA

• Nunca tente abrir um envelope suspeito
• Ponha o pacote suspeito afastado das áeras de acesso, se possível
• Evacue a área e chame o esquadrão especializado da polícia
• Não confine o pacote suspeito, nem o coloque na água.

Ao receber uma correspondência em sua casa não se preocupe: segundo o jornal “O Estado do Maranhão” de 24 de junho de 2003 os Correios estão preparados com equipamentos de RX, espectometros de massa, além de detectores de metais e cartas bomba para tornar nossa vida mais segura. Em todo caso, é melhor ler e memorizar este artigo antes de atender ao carteiro…

Bibliografia

https://echenastamps.com/bibliografia-de-salvador-bofarull/
https://es.wikipedia.org/wiki/Carta_bomba
https://br.answers.yahoo.com/question/index?qid=20090416145859AAUt5Iy
https://elcomercio.pe/mundo/europa/cartas-bomba-historia-peligrosas-armas-145188
https://www.minutouno.com/notas/46997-como-funcionan-y-que-mensaje-ocultan-las-cartas-bomba
http://www.ecsbdefesa.com.br/defesa/fts/TBR.pdf
http://imirante.com/sao-luis/noticias/2003/06/24/correios-possuem-equipamentos-para-detectar-drogas-em-correspondencia.shtml
Risco do Terrorismo com Bombas no Brasil, Vinicius Domingues Cavalcante, Universidade Federal de Juiz de Fora, 17/12/2012 do site:
http://www.ecsbdefesa.com.br/defesa/index.php option=com_content&task=view&id=1940&Itemid=68

Índice de figuras:

Fig. 1 – Carta bomba detonada
Fig. 2 – Salvador Bofarull
Fig. 3 – Capa do artigo “Un correo Letal: La Carta Bomba”, de Salvador Bofarull
Fig. 4 – Carta bomba desativada mostrando mecanismo
Fig. 5 – Carta bomba desativada

Dr.Roberto Antonio Aniche
Membro da SPP Soc.Philatélica Paulista
Membro da Sobrames Soc.Bras.Médicos Escritores
www.robertoaniche.com.br

Inteiros e Cartões Postais Censurados com Origem ou Destino no Brasil

A montagem desta coleção partiu de uma curiosidade: porque uma mensagem aberta seria alvo de censura postal? A resposta é simples: por serem mensagens abertas, que qualquer pessoa poderia ler durante seu trajeto até o destino não despertariam tantas suspeitas.

Por outro lado, mensagens cifradas, codificadas, escondidas sob os selos poderiam passar despercebidas e é nisso que o remetente se baseava ao enviar informações de guerra.

Levei cinco anos procurando e comprando peças. Foi exposta na Expo-SPP 2018 e na Americana 2018.

Exposição Americana 2018 – 20 anos da SOFIA Soc.Filatélica de Americana

Uma dupla comemoração marcou o dia 15 de setembro de 2018 na Escola SENAI Prof.João Batista Salles da Silva (fig.1), na maravilhosa cidade de Americana, distante apenas a cerca de 130 quilômetros da capital de São Paulo: o Dia do Encontro (Open House) marcando os 36 anos de história desta escola para alunos, ex-alunos, ex-funcionários e comunidade, e o 20ª aniversário da SOFIA, Sociedade Filatélica de Americana.

001 ESCOLA SENAI
Fig.1 Escola Senai Prof,João Batista Salles da Silva, Americana, SP

Este evento traz uma mostra de coleções de “Um Quadro”, de 15 a 22 de setembro de 2018 no hall principal da escola, junto com outras atividades ali desenvolvidas.

A Abertura da Expo-Americana 2018 ocorreu no Auditório da Escola, iniciando com o Hino Nacional Brasileiro, brilhantemente executado pela Banda Marcial SENAI Americana (fig.2), regida pelo Maestro Raphael de Araújo Franco. Esta Banda é formada por jovens alunos que se dedicam ao estudo e à música de maneira soberba, fruto da dedicação de toda a escola na formação de verdadeiros cidadãos.

 

O presidente da SOFIA, Sr. Gerson Francisco Quinhone fez a abertura da cerimônia (fig.3), seguido pelo Sr.Rubem Porto Junior, presidente da Federação Brasileira de Filatelia, pelo Sr.Marcelo Virgilio, diretor da Escola Senai. A seguir o Sr.Reinaldo Estevão de Macedo, vice-presidente da Federação Internacional de Filatelia fez também sua preleção.

Todos enalteceram o crescimento da filatelia entre os jovens, hobby este utilizado como instrumento didático, além de despertar a curiosidade e a disciplina entre eles.

A seguir tivemos o lançamento das peças filatélicas do evento: o selo personalizado do 20º anivesário da Sofia e o carimbo comemorativo (figs. 4 e 5) pelo Coordenador de Vendas de Americana dos Correios, Sr.Rodrigo da Silva Padula, tendo as obliterações sido feitas pelos Srs. Marcelo Virgilio, Reinaldo Estevão de Macedo, Rubens Porto Junior, Gerson Francisco Quinhone, Mário Xavier Junior e Sérgio Mastrorosa.

006 MIMO MARCELO VIRGILIO

Gerson Quinhone fez a entrega de um mimo de recordação do evento ao Sr.Marcelo Virgilio (fig. 6), diretor da Escola SENAI pelo apoio e incentivo à filatelia. O Diploma de Amigo da Filatelia foi entrega a Wellington Medeiros, Chefe do Grupo Escoteiro, Rubem Porto Junior, Presidente FEBRAF e Dr.Braz Martins Neto, Vice-Presidente da SPP.

A Medalha Comemorativa do Evento foi entregue para os Srs. Marcelo Virgilio, Reinaldo Estevão de Macedo, Rodrigo da Silva Pádula, Rafael de Araujo Franco, Rogério Aparecido Silva, Mário Xavier Junior e Sérgio Mastrorosa.

Gerson Quinhone entregou também a medalha para o Sr.Paulo Roberto Massenani, ilustrador que criou o selo personalizado e o carimbo comemorativo do evento.

A SOFIA foi fundada em 31 de janeiro de 1998 com a missão de divulgar e incentivar o colecionismo nas suas várias áreas: filatelia, numismática, cartofilia e telecartofilia e vem cumprindo com orgulho sua tarefa.

Nesta comemoração a SOFIA fez a cerimonia de troca de sua Bandeira (figs.7 e 8), para uma nova, mais atual, estilizada e mostrando a nova face desta jovem Sociedade.

009 ABERTURA DA EXPOSIÇÃO
Fig.9 – Abertura da Exposição

 

A seguir foi feita a entrega dos prêmios para as coleções com maior número de pontos:

Premio Especial SPP – Coleção Karatê, de Giovane Quinhone
Premio CTC – Coleção São José de Anchieta, de Agnaldo Gabriel
Premio CFB – Coleção Doutoras da Igreja, de José Ricardo Barreto
Premio RTB Eventos – Coleção Um Fio de Esperança, de Antonio Eleftheriou
Grande Premio Americana – Coleção Os Carimbos do Correio da Granja, de Mário Xavier

 

A cerimônia terminou com a entrega de um mimo de recordação para Rubem Porto e Reinaldo Estevão de Macedo, seguida pela abertura da Exposição (fig.9), com expressiva presença de grandes colecionadores de São Paulo, Americana, Santos e outras cidades do interior (fig.10)

010 FILATELISTAS
Fig.10 – Filatelistas presentes na Expo Americana 2018

 

 

X Expo-SPP – 175 anos do Olho-de-boi

01 CHAMADAEsta tradicional comemoração feita em conjunto pelos Correios e pela Sociedade Philatélica Paulista teve sua abertura em 1º de agosto de 2018, data em que foi emitido o primeiro selo Olho de Boi 30 Réis no Brasil e com solenidade oficial no sábado dia 4 de agosto (fig.1).

A Solenidade Oficial foi apresentada pelo Sr. Gercílio Cavalcanti, jornalista e cerimonialista, abrilhantada pelas palavras do Sr. Fernando Gouveia, coordenador de vendas, 02ambos da EBCT, com discursos de várias personalidades ligadas à área da filatelia. De grande importância para nós, filatelistas, foi o discurso do Sr. Fernando Gouveia (fig.2), que antevendo o ano próximo vindouro, colocou o Correio na rota das comemorações do Centenário da Sociedade Philatélica Paulista, o que muito contribuirá não só para o estreitamento desta relações, mas para uma grande divulgação da Filatelia em todo o território nacional.

O carimbo comemorativo no FDC foi aposto pelos Srs. Fernando Gouveia (EBCT), Gilberto Tenor (Presidente da 03Sociedade Numismática Brasileira), Reinaldo Macedo (Federação Internacional de Filatelia), Ygor Chrispin (SPP e criador do carimbo comemorativo, fig 3) e Mário Xavier Júnior (presidente da Soc.Philatélica Paulista) (fig.4).

A seguir foram entregues as placas comemorativas do evento para o Sr.Antonio Carlos Pereira Alves Junior, (Coordenador do Centro Cultural dos Correios), representado pela Sra. Jeisa; Fernando Gouveia (EBCT); Ygor Chrispin (associado da SPP e criador do carimbo comemorativo); Mário Xavier Júnior (presidente da SPP), Braz Martins Neto (vice-presidente da SPP, 05fig.5), Reinaldo Estevão de Macedo, (vice-presidente da FIP para as Américas, coordenador desta exposição e que a tornou realidade).

A Mostra consta com 20 coleções de um quadro expostas abrangendo várias áreas do conhecimento: ecologia, história, liberdade de expressão, inclusão social, etc., e terminou com um coquetel na sala dos filatelistas. Tivemos a presenta de muitos filatelistas e associados da Sociedade Philatélica Paulista, e destacamos a presença do Sr. João Batista Mendes de Oliveira, Gerente da Agência Central dos Correios que muito honrou o evento deste ano.

Índice das imagens:
01 – Convite da Exposição
02 – Sr.Fernando Gouveia, EBCT
03 – Ygor Chrispin, SPP
04 – Sr.Mario Xavier Jr presidente da SPP e Miguel R.Magalhães
05 – Final da cerimônia
06 – Carimbo comemorativo

O Amigo Virtual do Filatelista – por Ana Lúcia Loureiro Sampaio

Quem é de São Paulo, capital, lembra muito bem, e com saudades,  dos tempos da Filatélica Penny Black com a grande filatelista Ana Lúcia Loureiro Sampaio e o Giorgio Radini. Ana Lúcia foi quem mostrou os caminhos da Filatelia para muita gente, e manteve uma produção literária grande. Já nos tempos da internet, “O Amigo do Filatelista”, que era produzido em papel tornou-se virtual, e, pelo que tenho notícias, foram feitos apenas cinco números, iniciando em 2009 ou 2010, que disponibilizo aqui. O trabalho da Ana Lúcia não pode ser esquecido, e deve ser mostrado às novas gerações de filatelistas.