O Deficiente Físico na Filatelia – Parte 3 – O Cecograma

Cecograma (s.m.; de caecus = cego + gr. grámma, pelo lat. gramma = escrito) “instrumento escrito por ou para cegos com o emprego do sistema Braille”

A escrita Braille recebeu este nome devido ao seu criador Louis Braille (fig 1), que perdeu a visão em um acidente na infância. Em 1824, Braille desenvolveu aos 15 anos um código para o alfabeto francês em uma melhoria para a escrita noturna, e que será objeto de artigo próximo.

Criado pelo Congresso de Viena, na Áustria, em 1964, a palavra é um termo que significa “correspondência para uso dos cegos”. Porém, mais do que uma palavra, Cecograma é um serviço garantido por lei às pessoas com deficiência visual em diversos países. O Congresso de Ottawa concedeu a franquia postal às escritas Braille (Fig.1), abertas. Para evitar limitar o termo a um único método de escrita, o termo “cartas cecográficas” foi utilizado.

Fig 1No Brasil a palavra se tornou um direito em 1978 quando foi sancionada a Lei Federal 6538 que regula os direitos e obrigações do serviço postal no país, e que menciona a carta, o cartão postal e o cecograma entre outros objetos de postagem. O Cecograma é definido como “objeto de correspondência impresso em relevo para uso dos cegos. Em 1979, na Convenção Universal do Rio de Janeiro, ficou acordado, no artigo 17, que o Cecograma estaria isento da taxa de franquia.

Os materiais em áudio, expedidos por instituições direcionadas para cegos, oficialmente reconhecidas, ou endereçadas a elas também são considerados como cecograma. Na postagem os objetos deverão ser apresentados abertos para a verificação das condições de aceitação; deverá ser exibido no canto inferior esquerdo do objeto a palavra “CECOGRAMA”, e deverá ter no máximo sete quilos. A postagem é gratuita para cartas simples, registrada ou com aviso de recebimento. (figs. 2, 3 e 4)

Fig 2 CECOGRAMAFig 3 CECOGRAMA

 

Fig 4 CECOGRAMA

SERVIÇOS DE AJUDA

Encontramos alguns serviços de ajuda para escrever, traduzir e postar cartas para cegos.Fig 5 Mecbraille Se enviarmos uma carta escrita em nosso alfabeto para um cego ele dependerá de alguém com visão normal para lê-la. Os serviços “traduzem” a carta para escrita Braille, imprimem e postam-na no correio.

A Acessibilidade Brasil (www.acessobrasil.org.br) disponibilizou para utilização pública e gratuita, um sistema de impressão remota em Braille, que permite o envio de uma carta em Braille, via correios, para todo o território brasileiro.

Em Portugal, existe um serviço similar, o MECBraille – Marco Electrónico de Correio Braille (www.acessibilidade.net).(fig.5)

Fig 6

O Regulamento Oficial do Serviço Postal norte-americano pode ser lido no endereço https://about.usps.com/postal-bulletin/2014/pb22382/html/updt_002.htm e apresenta uma etiqueta que deve ser afixada no canto superior direito da parte da frente do envelope ou peça postal indicando a deficiência visual. Esta etiqueta pode ser impressa em casa ou até xerox. Não é indicado, no regulamento o tamanho dela. Encontramos no site eBay nesta data etiquetas para cegograma (fig 6), mas desconhecemos esta etiqueta no Brasil.

 

 

Bibliografia:
https://www.correios.com.br/a-a-z/cecograma-nacional
https://www.correios.com.br/a-a-z/cecograma-internacional
https://turismoadaptado.com.br/cecograma-o-servico-postal-em-braille-dos-correios-brasileiros/
http://www.acessibilidade.net/mecbraille/servico.php
http://cmaia.selos-postais.com/Artigos/7_cecograma/cecograma.htm
https://articulo.mercadolibre.com.ar/MLA-727189224-filasur-argentina-cecograma-pareja-mint-para-no-viedentes-_JM
https://pt.wikipedia.org/wiki/Braille
https://about.usps.com/postal-bulletin/2014/pb22382/html/updt_002.htm

Índice de imagens

1. Selo em homenagem a Louis Braille
2. Cecograma enviado de entidade para cegos para papelaria (comércio), isenta de porte, mas não de acordo com o regulamento.
3. Cecograma enviado da Itália para Nova Zelândia 31 de julho de 1995, com retorno ao remetente. Note-se a escrita em Braille. Apesar da anotação de carta de cego isenta de taxa, foi aposto selo de 500 liras italianas, por ser registrada Expressa. A modalidade expressa não é contemplada no regulamento.
4. Cecograma enviado de entidade para cegos para a Empresa Brasileira de Correios e Telégrafos, também não contemplada pelo regulamento. Carimbo de cecograma no canto superior direito.
5. Computador com programa que transmite para uma impressora tipo Braille os caracteres digitados (MECBraille)
6. Etiquetas para correspondência de cegos conforme regulamento do Correio Norte Americano.

O Deficiente Físico na Filatelia

O DEFICIENTE FÍSICO NA FILATELIA

Iniciei esta coleção por incentivo de um amigo da SPP, até porque minha residência médica em Ortopedia e Traumatologia foi feita no Complexo Hospitalar do Mandaqui, um hospital de referência em politraumatizados. Por ter trabalhado também como médico na Prefeitura de São Paulo sempre em extrema periferia por opção própria, deparei-me com centenas de deficientes na minha vida profissional. Uma centena de amputações salvadoras ou tornam o médico mais humano ou mais insensível. Felizmente eu faço parte do primeiro grupo.

Quando após 21 anos tive que sair da atividade em pronto socorro e passar ao ambulatório passei a me dedicar à reabilitação, mas em todos os tipos de deficiência, desde crianças e adultos com paralisia cerebral até amputados por outras doenças que não o traumatismo.

Aprendi que o deficiente físico pode se tornar um “Deficiente Eficiente” se for dado a ele oportunidades e condições. A família deve ser tratada! Ele não deve ser um peso para a sociedade, mas um cidadão a mais que pode contribuir com trabalho e experiência.

Este foi o escopo desta coleção. Quando a ONU declarou que 1981 seria o Ano Internacional do Deficiente e conscientizou todos os governos da importância deles, as agências dos correios emitiram muitos selos e blocos sobre o tema. O selo é uma mensagem que atinge todos os cantos do planeta e os governos sabem disso. Foram mostrados, através deles, experiências de superação, modelos de gestão, participação de deficientes no trabalho, nos esportes e no lazer.

Esta coleção poderá ser desmembrada em cada tópico, em cada tipo de deficiência ou ação, cabendo aí em um, dois ou três quadros, de maneira a tornar mais simples e objetiva a sua exposição e compreensão.

Enfim, somos todos cidadãos do mundo, seres humanos com o mesmo genoma básico, diferentes porém iguais em anatomia, fisiologia, forma, direitos legais e sociais, as diversas linguagens expressam as mesmas coisas com palavras diferentes. Assim devemos ser todos nós, diferentes em nossa matéria grosseira, porém espiritualmente iguais.

A exposição pode ser vista na íntegra no endereço

https://www.facebook.com/filateliapaulista/videos/1715724838473689/

Para ver a coleção completa clique em:

Coleção “O Deficiente Físico na Filatelia”

Roberto Antonio Aniche
Médico Ortopedista
Membro da SPP Soc.Philatélica Paulista
Membro da Sobrames Soc.Bras.Médicos Escritores