O Deficiente Físico na Filatelia

O DEFICIENTE FÍSICO NA FILATELIA

Iniciei esta coleção por incentivo de um amigo da SPP, até porque minha residência médica em Ortopedia e Traumatologia foi feita no Complexo Hospitalar do Mandaqui, um hospital de referência em politraumatizados. Por ter trabalhado também como médico na Prefeitura de São Paulo sempre em extrema periferia por opção própria, deparei-me com centenas de deficientes na minha vida profissional. Uma centena de amputações salvadoras ou tornam o médico mais humano ou mais insensível. Felizmente eu faço parte do primeiro grupo.

Quando após 21 anos tive que sair da atividade em pronto socorro e passar ao ambulatório passei a me dedicar à reabilitação, mas em todos os tipos de deficiência, desde crianças e adultos com paralisia cerebral até amputados por outras doenças que não o traumatismo.

Aprendi que o deficiente físico pode se tornar um “Deficiente Eficiente” se for dado a ele oportunidades e condições. A família deve ser tratada! Ele não deve ser um peso para a sociedade, mas um cidadão a mais que pode contribuir com trabalho e experiência.

Este foi o escopo desta coleção. Quando a ONU declarou que 1981 seria o Ano Internacional do Deficiente e conscientizou todos os governos da importância deles, as agências dos correios emitiram muitos selos e blocos sobre o tema. O selo é uma mensagem que atinge todos os cantos do planeta e os governos sabem disso. Foram mostrados, através deles, experiências de superação, modelos de gestão, participação de deficientes no trabalho, nos esportes e no lazer.

Esta coleção poderá ser desmembrada em cada tópico, em cada tipo de deficiência ou ação, cabendo aí em um, dois ou três quadros, de maneira a tornar mais simples e objetiva a sua exposição e compreensão.

Enfim, somos todos cidadãos do mundo, seres humanos com o mesmo genoma básico, diferentes porém iguais em anatomia, fisiologia, forma, direitos legais e sociais, as diversas linguagens expressam as mesmas coisas com palavras diferentes. Assim devemos ser todos nós, diferentes em nossa matéria grosseira, porém espiritualmente iguais.

A exposição pode ser vista na íntegra no endereço

https://www.facebook.com/filateliapaulista/videos/1715724838473689/

Para ver a coleção completa clique em:

Coleção “O Deficiente Físico na Filatelia”

Roberto Antonio Aniche
Médico Ortopedista
Membro da SPP Soc.Philatélica Paulista
Membro da Sobrames Soc.Bras.Médicos Escritores

O Deficiente Físico na Filatelia – Parte 1 – Ano Internacional da Pessoa Deficiente – AIPD

2 - Fig 1 ONU

O ano de 1981 foi proclamado pela ONU, Organização das Nações Unidas  o Ano Internacional das Pessoas Deficientes pelas Nações Unidas. Os objetivos principais do AIPD eram: ajudar no ajustamento físico e psicossocial na sociedade; promover esforços, nacional e internacionalmente para possibilitar o trabalho compatível e a plena integração à sociedade; encorajar projetos de estudo e pesquisa visando à integração às atividades da vida diária, aos transportes e aos edifícios públicos; educar e informar o público sobre os direitos de participar e contribuir em vários aspectos da vida social, econômica e política, além de ações visando a prevenção das diversas deficiências e sua reabilitação.

3 - Fig 2 Ano Internacional do Deficiente

Apesar do ano de 1981 ter sido escolhido, o início de todo o processo se deu em 1976, quando a ONU o proclamou, durante a 31ª sessão da Assembleia Geral, sob o tema “Participação Plena”. À época a ONU já havia tomado uma série de decisões em prol das pessoas com deficiência, com a Declaração sobre os Direitos das Pessoas com Retardo Mental, de 1971, e a Declaração dos Direitos das Pessoas Deficientes, de 1975.

Em 1977 a ONU cria o Secretariado Especial e um Comitê Gestor integrado por representantes de 15 Estados membros com a finalidade de elaborar um plano de ação preliminar. Em 1978 a Assembleia Geral da ONU decide aumentar para 23 o número de Estados membros no Comitê Gestor. Nesta mesma sessão foi sugerido a formação de comissões nacionais para o Ano Internacional da Pessoa Deficiente.

Em 1979 a Assembleia Geral aprovou o Plano de Ação, ampliando o tema do Ano para “Participação Plena e Igualdade”.

O Símbolo Oficial do Ano Internacional das Pessoas Deficientes – 1981

5 - Fig 4 simbolo-ano-internacional

O símbolo utilizado representa duas pessoas que se dão as mãos, numa atitude mútua de solidariedade e de apoio em plano de igualdade, circundadas por parte do emblema das Nações Unidas.

 

4 - Fig 3 KURT WALDHEIMPessoas Deficientes têm o direito de uma plena participação na vida e no desenvolvimento de suas sociedades. Ê nossa obrigação fazer com que a eles seja possível usufruir desse direito.”

Kurt Josef Waldheim, diplomata e político austríaco, Secretário-geral da ONU de 1972 a 1981 e Presidente da República da Áustria de 1986 a 1992 (fig.4)

O Ano Internacional do Deficiente no Brasil

  • Os deficientes são parte da sociedade e não uma sociedade à parte”
  • Dra. Helena Bandeira de Figueiredo (médica), presidente do Conselho Nacional do Ano Internacional das Pessoas Deficientes, 1981

A Comissão Nacional do AIPD foi instalada no Brasil pelos Decretos n° 84.919 e n° 85.123, respectivamente, de 15 de julho e 10 de setembro de 1980. Instituída no Ministério da Educação e Cultura, a Comissão Nacional era formada por representantes do Poder Executivo, de entidades não governamentais de reabilitação e educação de pessoas com deficiência, bem como pelas interessadas na prevenção de acidentes de trabalho, trânsito e domésticos. Não havia na Comissão Nacional do AIPD nenhuma vaga para entidades formadas por pessoas com deficiência, o que foi motivo de grande insatisfação por parte do movimento.

A Coalizão Pró-Federação Nacional de Entidades de Pessoas Deficientes repudiou a ausência de pessoas com deficiência na Comissão e solicitou, por meio de carta, ao presidente da República, general João Batista Figueiredo a alteração do Decreto que instalou a Comissão Nacional. O presidente Figueiredo garantiu que tais pessoas comporiam as subcomissões estaduais que seriam criadas, o que de fato aconteceu, enriquecendo o trabalho desenvolvido em prol das pessoas com deficiência.

6 - Fig 5 Ano Internacional no Brasil

O Ano Internacional das Pessoas com Deficiências no Brasil foi marcado pelo inicio da conquista da inclusão social, acessibilidade e maior visibilidade para os problemas cotidianos que os deficientes enfrentam. Numa demonstração na Praça Roosevelt em São Paulo, as associações de deficientes mostraram ao público em geral as dificuldades que eles enfrentavam, disponibilizando cadeiras de rodas para que pessoas sem deficiência subissem e descessem escadas nelas. No mesmo ano foi conquistada uma rampa de madeira no Teatro Municipal de São Paulo para que os deficientes pudessem entrar no teatro.

Um excelente histórico sobre as pessoas com deficiência foi feito pela Secretaria Nacional de Promoção dos Direitos das Pessoas com Deficiência. O download do arquivo em .pdf pode ser feito diretamente do link http://www.sdh.gov.br/assuntos/pessoa-com-deficiencia/pdfs/catalogo-para-todos

Bibliografia
www.wikipedia.org
http://www.dominiopublico.gov.br/download/texto/me002911.pdf
http://www.bengalalegal.com/movimento-historia-pcd
https://pt.wikipedia.org/wiki/Kurt_Waldheim
http://www.sdh.gov.br/assuntos/pessoa-com-deficiencia/pdfs/catalogo-para-todos
http://www.bengalalegal.com/assistente-social
http://ebay.com